27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
Acre

Militares do Acre criticam projeto do Governo de colocar câmeras nos seus uniformes “Interesse em nos vigiar”

Publicado em 18/01/2024 09:01

A Associação dos Militares do Acre (AMEAC) publicou em suas redes sociais na ultima quarta-feira, 17, uma nota questionando a iniciativa do Governo do Acre de implantar nos uniformes das policiais câmeras de segurança.
Na publicação feita, a associação questiona por qual motivo o estado prefere “vigiar” os trabalhadores ao invés de melhorar as condições de trabalho.

Veja a nota da Associação dos Militares na íntegra:

Por que o Estado se dispõe em investir quase 40 milhões para vigiar a Polícia e quase nada para melhorar a carreira, condições de trabalho e salário dos policiais?
O Estado não se cansa de dizer que enfrenta dificuldades financeiras, tanto o Estado do Acre como a União, reclamam diuturnamente que o orçamento está apertado e a exiguidade de recursos públicos, principalmente para demandas como melhoramento de carreira e remuneração dos Servidores, e aqui, me reservo a falar do meu público, Militares Estaduais.
É com estranheza que recebemos a notícia que este Estado que falta dinheiro para tudo, agora tem interesse de gastar 40 milhões em implantação de câmeras corporais para vigiar, sim, este é o termo, os policiais no exercício de suas funções. Indo assim na contramão do que prega, deixando claro que dinheiro tem apenas para o que lhe é de interesse.
Preciso claro, ser justo, e é inegável que muitas coisas foram feitas em termo de infraestrutura nos últimos anos, apaziguando um pouco a calamitosa situação que a Segurança Pública e em especial os militares enfrentam em seu dia a dia, mas basta uma rápida visita aos quartéis, que veremos que ainda falta muito, do mobiliário, quase todos velhos, boa parte reaproveitados, à água de consumo.
Temos quartéis com sérios problemas estruturais, temos unidades, em especial nos municípios isolados como Santa Rosa, entre outros, operando em situações de total insalubridade, funcionando na raça, coragem e amor servil e social dos militares que ali operam.
Deixo, pois, o seguinte questionamento ao Gestores do Estado, não seria mais eficiente, viável e urgente o melhoramento das condições de trabalho dos Militares? Porque não usar esses muitos milhões de reais para as reformas estruturais urgentes de nossos quartéis em especial do interior ou em equipamentos que lhes dê melhores condições operacionais? Ou ainda, melhor, quitar com estes a dívida do Realinhamento Remuneratório prometido na campanha eleitoral de 2018? Não seria melhor motivar os militares com uma carreira digna?
Aguardamos vossa resposta, que indicará qual a prioridade deste, se é investir na “vigilância” da ação policial, ou nas melhores condições para que o Policial possa atuar contra o Crime.
Afinal é na escassez que mostramos qual é nossa prioridade.

Artigos Relacionados

Estudante do AC que tirou 980 na redação do Enem 2023 estudava quase 10h por dia e reduziu uso de redes sociais

Jamile Romano

Prefeito de Rio Branco empossa dez novos Procuradores para o município

O Rio Branco

Prefeitura de Rio Branco esclarece sobre remoção de árvores na capital

Marcio Nunes

Isenção de imposto: projeto de Eduardo Velloso estabelece isenção de IPI para veículos com motor elétrico

Marcio Nunes

Governador anuncia concurso público da Sefaz com 164 vagas

Marcio Nunes

Presidente da Câmara faz avaliação positiva de 2023 e afirma que inauguração da primeira fase da sede própria do Poder Legislativo será o grande marco em 2024; confira a integra da entrevista

Jamile Romano