27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
AcreGeral

Inauguração do Museu dos Povos Acreanos, revitalização de espaços e diálogo com fazedores de cultura marcaram ações da FEM em 2023

Publicado em 28/12/2023 09:12

A Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) iniciou 2023 com vários desafios, focando na recuperação dos espaços culturais do estado e na retomada dos incentivos financeiros aos fazedores de cultura, com a Lei Paulo Gustavo (LPG) e o Fundo Estadual de Cultura (Funcultura), que, somados, injetaram R$ 24 milhões em projetos culturais em todo o Acre. A cultura popular também foi fortalecida com a realização do Arraial Cultural, que levou milhares de famílias à Gameleira, em Rio Branco.

Mesmo enfrentando restrições orçamentárias, o governo do Acre conseguiu entregar para a população, na capital, a revitalização do Teatro Barracão Matias, do Memorial dos Autonomistas e do Café do Teatro, do Museu da Borracha e melhorias na Usina de Arte e nas bibliotecas públicas de Rio Branco e de Cruzeiro do Sul. Além disso, a FEM entregou para a população a conclusão da primeira etapa da obra do Museu dos Povos Acreanos. São ações que refletem o cuidado do governo em preservar a memória e a identidade do povo acreano

Outro aspecto que a FEM priorizou foi o diálogo com os fazedores de cultura, com o apoio às conferências municipais de cultura e a realização da Conferência Estadual de Cultura, para garantir a operacionalização das leis Paulo Gustavo e Aldir Blanc e do Funcultura.

“Realizamos oitivas nas cinco regionais de forma presencial, ouvindo os fazedores de cultura durante três dias. Já pagamos todos os contemplados do Funcultura e o pagamento da LPG será efetuado na primeira quinzena de janeiro. Além disso, fomos o primeiro estado a aderir 100% à Política Nacional Aldir Blanc (Pnab) e isso muito nos alegra”, enfatiza o presidente da FEM, Minoru Kinpara.

A expectativa para 2024 é de novas realizações, incluindo a reforma do Teatro Plácido de Castro e da Tentamen, em Rio Branco, do Museu Chico Mendes, em Xapuri, e dos espaços de memória no Quixadá. “Todos esses projetos estão com os processos de licitação em andamento. Além disso, estamos aptos a receber muitos recursos ano que vem. São mais R$ 16 milhões da Pnab, um volume de incentivo financeiro nunca visto antes na história da cultura do Acre”, esclarece Kinpara.

A cultura acreana encerra o ano de 2023 com grandes realizações, graças ao apoio incondicional do governo do Estado, que entende a importância da cultura para o desenvolvimento do Acre: “Quero agradecer ao governador Gladson Cameli pela confiança de colocar em minhas mãos uma pasta tão especial. Espero honrar esse crédito e proporcionar bons resultados para a população do nosso estado”.Na primeira semana de gestão, em janeiro, a FEM concluiu a reforma emergencial no sistema de iluminação e refrigeração da Biblioteca Pública Adonay Barbosa dos Santos, na capital, no valor de R$ 15 mil. O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado da Indústria, de Ciência, do Comércio, do Empreendedorismo e do Turismo, e a Prefeitura de Rio Branco lançaram o Carnaval da Família 2023. A parceria cultural e institucional firmada entre a Fundação Elias Mansour e a Fundação Garibaldi Brasil, resultou na contratação de artistas locais e no tradicional desfile dos blocos.

Em fevereiro, a FEM apresentou à Secretaria de Planejamento do Acre as seis ações idealizadas pela instituição para serem implantadas em Rio Branco, referentes ao Plano de Cem Dias. As ações previstas foram as seguintes: reinauguração da Casa dos Povos da Floresta, no Parque da Maternidade, até o fim de fevereiro; reabertura do Complexo Cultural Memorial dos Autonomistas e Theatro Hélio Melo, na Praça do Seringueiro, atrás do Palácio Rio Branco; reforma emergencial realizada no Museu da Borracha, ao custo de R$ 96,5 mil; e reforma do Teatro Barracão, localizado no bairro Sobral.

A meta também incluía a articulação geral e organização da programação cultural dos cinco dias do Carnaval da Família 2023, uma ação compartilhada entre o Estado e a Prefeitura de Rio Branco.Em março, a Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia do Acre (Seict) e a FEM abriram o curso presencial de Microsoft Office para o Mercado de Trabalho, oferecido em Rio Branco, com aulas ministradas no Teatro Barracão Matias, bairro Sobral. Mais de 1.500 alunos já foram certificados por meio do programa Polo Digital em cursos das áreas administrativa e de informática.

A revitalização e transformação de espaços públicos sempre foi prioridade da atual gestão e, para reforçar e trazer de volta a cultura à baixada da Sobral, o governo do Acre, por meio da FEM, entregou no dia 24 de abril a revitalização do espaço multicultural Teatro Barracão Matias, em Rio Branco.

Raimundo Ferreira, conhecido como mestre Cancão, é capoeirista e frequentou o barracão junto com Matias na década de 1990, quando fundou o seu grupo de capoeira, que vai voltar a utilizar o espaço. “Esse espaço é uma referência para a cultura aqui nessa região. Conheci o Matias em 1994. O grupo começou aqui nesse espaço, quando cederam o espaço para a gente. É uma área importante para toda a comunidade. Vim prestigiar e fortalecer o trabalho que o barracão fez, faz e vai fazer por toda essa área”, disse.

“É muito importante ver a memória do meu pai ser relembrada nesse espaço de empoderamento da juventude”, declarou Eliana Matias, filha de José Marques.

Na oportunidade, foi anunciado o projeto Polo Digital, em que a FEM, em parceria com a Seict, vai garantir ensino de informática para a população do Bairro Sobral.

“É muito importante para a comunidade esse espaço, por agregar pessoas de todas as idades. É um local cultural, que abrange várias atividades, como o forró, atividade teatral. O curso de informática vai somar muito para todos, principalmente a nós estudantes, para o nosso currículo”, declarou Tatiana de Freitas, moradora do Bairro Sobral que foi à reinauguração do espaço.

O espaço histórico leva o nome de José Marques de Sousa, o Matias, que contribuiu com movimentos sociais no Acre e utilizou o teatro como forma de reivindicar melhores condições para a comunidade.

O equipamento público, que recebeu o investimento de R$ 100 mil, oriundo de recursos próprios do Estado, vai resgatar valores culturais para a juventude acreana. Diversas atividades foram efetuadas já no primeiro dia, como oficinas de histórias e forró.

No dia 24 de abril, a FEM iniciou o ciclo de debates com segmentos da cultura sobre a execução da Lei Paulo Gustavo no estado. Democratizar e incluir são as principais bases da gestão pública de cultura do Acre.

O debate foi estendido a todos os municípios do estado e destinado a promover o diálogo sobre linhas de apoio, tipos de editais, regramentos e todas as pautas referentes à execução da LPG, que está destinando para o Acre R$ 22 milhões para projetos culturais.

As oitivas com vários segmentos culturais para execução da Lei Paulo Gustavo foram realizadas no Juruá em maio. Fazedores de cultura reuniram-se com servidores da FEM no Teatro dos Náuas, em Cruzeiro do Sul, durante três dias. Além dos artistas de Cruzeiro do Sul, estiveram presentes representantes da cultura de Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Mâncio Lima. Todos debateram sobre suas necessidades e expectativas, além de serem informados sobre a LPG, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas em decorrência dos efeitos econômicos e sociais da pandemia da covid-19.

No dia 31 de maio, foi encerrada a última etapa da fase estadual de oitivas da LPG. As escutas foram realizadas nas cinco regionais, com início no dia 8 de maio, passando por Sena Madureira, Feijó, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Brasileia e finalizando em Rio Branco, com a participação de gestores da FEM, de representantes do Comitê Paulo Gustavo e do Concultura e também de secretários municipais de Cultura.

O ciclo de oitivas no estado não tinha a obrigatoriedade de ser realizado de forma presencial, mas a FEM fez questão de ouvir os operadores e fazedores de cultura no interior e, principalmente, ir às prefeituras para pontuar a importância do envolvimento das secretarias de Cultura, para que os municípios não deixassem de receber esses recursos.

Gestores do setor cultural de 18 dos 22 municípios do Acre participaram, no dia 3 de junho, da Oficina de Nivelamento da Lei Paulo Gustavo (LPG) realizada pelo Ministério da Cultura (MinC), com apoio do governo do Estado, por meio da FEM.

Durante todo o dia, os representantes do MinC, Pedro Vasconcellos e Mariana Resende, fizeram explanação técnica do processo de acesso aos recursos. Eles também abordaram aspectos relacionados aos planos de ação que deveriam ser elaborados pelos gestores municipais.

O Ministério da Cultura instalou em Rio Branco um escritório institucional, para dar apoio aos fazedores de cultura na elaboração de seus projetos dentro da Lei Paulo Gustavo, realizando, inclusive, uma busca ativa dos agentes culturais que têm dificuldade de acessar a lei.No aniversário da elevação do Acre de Território a Estado, no dia 15 de junho, o governador Gladson Cameli e o presidente da FEM, Minoru Kinpara, entregaram a revitalização do Memorial dos Autonomistas, que reúne um dos mais importantes acervos históricos do Estado, e também a reforma do Theatro Hélio Melo e do Café do Theatro, que integram o complexo cultural. O momento, segundo presidente da FEM, foi de grande celebração, porque o cuidado com os espaços é uma demonstração de respeito do governo do Estado pelo patrimônio e pela história de sua população.

O Arraial Cultural 2023, realizado de 27 de junho a 2 de julho, no Calçadão da Gameleira, foi um grande sucesso. O governador Gladson Cameli fez questão de garantir o espaço da Gameleira para a realização do Arraial Cultural e mobilizou uma força-tarefa envolvendo secretarias e a Defesa Civil, possibilitando o uso do espaço público com toda a segurança para garantir uma festa inesquecível a todos.

O Concurso Estadual de Quadrilhas foi o ponto alto do Arraial Cultural, com a participação de 12 quadrilhas, da capital e do interior, nas categorias Casal Caipira, Casal Mirim e Casal da Diversidade.

O governo do Acre, por meio da FEM, lançou, em 27 de julho, quatro editais do Fundo Estadual de Cultura, no valor de R$ 2,1 milhões, visando abranger artistas de vários segmentos.  Os editais garantiram recursos em caráter de urgência aos artistas. O edital para a seleção de projetos nas áreas de arte, patrimônio cultural e humanidades, destinados à produção, formação, divulgação, circulação e intercâmbio que contribuam para o desenvolvimento artístico-cultural dos 22 municípios é o que disponibiliza a maior parte dos recursos, no valor total de R$ 1 milhão.

O prêmio de Mestres da Cultura Popular contemplou 30 projetos com R$ 10 mil, cada. Já o Prêmio de Fortalecimento da Cultura Indígena contemplou 40 propostas, no valor de R$ 12,5 mil, cada. O Edital de Incentivo Direto à Cultura direcionado a Entidades Culturais premiou cinco projetos de até R$ 60 mil.

O governo do Estado iniciou, em 21 de julho, os preparativos da 48ª Exposição Agropecuária do Estado do Acre (Expoacre). Dois palcos foram organizados pela FEM na Expoacre 2023, para receber 54 artistas dos mais variados gêneros musicais, incluindo grupos de dança, voz e instrumental.

Os palcos da FEM na Expoacre tiveram apresentações simultâneas durante todos os dias do evento. Os estilos foram os mais variados, para todos os gostos. Veteranos e estreantes apresentam o melhor da música acreana.

A data da comemoração do início da Revolução Acreana, 6 de agosto, será lembrada pela inauguração da primeira etapa do Museu dos Povos Acreanos, uma obra idealizada e iniciada em 2018, mas concretizada na gestão do governador Gladson Cameli, que compreende a importância da valorização da história e da cultura acreana.

A solenidade de abertura do novo espaço público, realizada no domingo, 6, em Rio Branco, foi marcada pela entrega de condecorações da Ordem da Estrela do Acre a personalidades que se destacam na história acreana em diversas áreas de atuação.

Receberam a honraria a presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Regina Ferrari; o educador Evaristo de Lucca; Eduardo Reis Diniz, o Lorde do Iaco; a cantora Francis Nunes; Hademi Moreira Maia e Antônio Cordeiro da Silva, o Cordeirinho, motorista que dirigiu para todos os governadores desde a gestão de Geraldo Mesquita (1975-1979).Já no dia 17 de agosto o governo do Acre entregou a revitalização do Museu da Borracha – Governador Geraldo Mesquita. O espaço cultural recebeu investimentos de R$ 300 mil, provenientes de recursos próprios do Estado. Inaugurado em novembro de 1978, o Museu da Borracha é o mais antigo do estado. O local, que é administrado pela Fundação Elias Mansour (FEM), reúne um grande acervo material com ênfase na Revolução Acreana e nos ciclos da borracha na região.

A FEM marcou presença na Expoacre Juruá, realizada em setembro. Os artistas do Juruá abrilhantaram e animaram a quarta noite de exposições na feira do Juruá, com repertório que agradou o público presente, sendo que quatro bandas musicais e grupos de dança apresentaram-se no palco principal.

Cordolino Mota, gestor da FEM no Juruá, destacou a importância de os artistas terem seu espaço na feira.Também em setembro, o Centro em Cultura Usina de Arte João Donato, em parceria com a Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), lançou processo seletivo com vagas em cinco cursos livres, gratuitos, e abertos à comunidade.  As vagas foram distribuídas entre cinco turmas, sendo uma turma para o curso de Técnica Mista, uma de Iniciação Teatral, duas turmas de Aprofundamento à Linguagem Teatral e uma de Fotografia.

Atendendo a diretiva do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) e do Ministério da Cultura (MinC), a Fundação Elias Mansour (FEM) iniciou em setembro a 4ª Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC) em Rio Branco e em todos os municípios acreanos.

Para a conselheira de Cultura Carol Di Deus, o diálogo, a troca de ideias e o planejamento conjunto envolvendo diferentes setores da cultura, são essenciais para a elaboração de políticas públicas que contemplem um número cada vez maior de fazedores de cultura. “Além de discutirmos propostas para os seis eixos que nossos delegados levarão para defesa na Conferência Nacional de Cultura, em 2024, discutimos propostas que irão compor nosso Plano Estadual de Cultura”, acrescentou.

Minoru Kinpara destacou que, nos mesmos dias de conferência, servidores da fundação ministraram curso para a elaboração de projetos. “Sabemos das dificuldades dos fazedores de cultura na hora de colocar as ideias no papel, seguindo as regras dos editais, por isso tivemos a preocupação de promover o curso”, disse.

O governador Gladson Cameli anunciou, no dia 9 de outubro, o maior investimento já destinado à cultura na história do Acre, com R$ 22 milhões em recursos. O evento, organizado pela FEM, marcou o lançamento dos editais da Lei Paulo Gustavo no estado, um marco significativo para os trabalhadores da cultura que enfrentaram grandes desafios durante a pandemia de covid-19.

Em um discurso voltado à valorização dos fazedores de cultura, o governador Gladson Cameli destacou a importância da Lei Paulo Gustavo como um sopro de esperança para o setor cultural do Acre. Ele agradeceu ao governo federal, especialmente ao presidente Lula, por ampliar os valores da lei criada durante a crise da pandemia. Cameli expressou seu compromisso em apoiar a arte e a cultura, reconhecendo que desempenham um papel fundamental no desenvolvimento econômico e social do estado.

A FEM, por meio do Ministério da Cultura (MinC), conseguiu realizar as etapas das conferências municipais para a 4ª Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC) em 14 municípios do Acre, em 30 de outubro. A 4ª CNC teve como tema central Democracia e Direito à Cultura e foi uma oportunidade de a sociedade civil interferir e participar na formulação e execução das políticas culturais, visando garantir uma gestão democrática da política cultural em todo o estado.

Para o presidente da FEM, Minoru Kinpara, todos os esforços foram feitos para garantir total apoio aos fazedores de cultura, com o objetivo de que ninguém seja prejudicado pela falta de conhecimento para a elaboração dos projetos.A estátua da personalidade de Chico Mendes, símbolo da luta pelos direitos dos seringueiros e pela preservação ambiental, retornou à Praça dos Povos da Floresta, no centro de Rio Branco, no dia 13 de novembro. A escultura volta ao local de exposição após pouco mais de duas semanas de restauração, realizada pelo artista plástico Darcy Seles e pelo artista visual Luís Carlos Gomes, da equipe da FEM.

Após um longo período de escutas, a FEM realizou a 4ª Conferência Estadual de Cultura (4ª CEC), nos primeiros dias de dezembro. O governo do Acre, por meio da FEM, conseguiu mobilizar cem delegados de todos os municípios para participar desse momento importante para o setor. Há dez anos as conferências haviam sido suspensas em todo o país, e agora são retomadas as discussões para a elaboração do Plano Nacional de Cultura.

O esforço conjunto do Ministério da Cultura (MinC), governo do Acre, FEM, Conselho Estadual de Cultura (ConCultura), Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e delegadas e delegados resultaram em propostas que serão levadas à Conferência Nacional de Cultura, que será realizada em março de 2024.

O presidente da FEM, Minoru Kinpara, destacou o momento histórico da cultura acreana: “Primeiro tivemos o período de escuta e, agora, todos os representantes de municípios ajudam a repensar a política nacional de cultura. Agradeço pelo apoio incondicional do governador Gladson Cameli e da vice-governadora Mailza Assis e também à ministra Margareth Menezes e ao presidente Lula, por esse olhar atento à cultura do nosso país”.

Foi com grande satisfação que o governo encerrou, no dia 15 de dezembro, o pagamento de R$ 2 milhões em recursos destinados a mais de 120 projetos culturais do Fundo Estadual de Cultura (Funcultura), marcando um movimento estratégico para o fortalecimento da cultura no estado.

Com esse montante, artistas, produtores culturais e instituições terão a oportunidade de realizar projetos vitais para a cadeia produtiva da cultura acreana, que envolve mestres da cultura popular, povos originários e área de arte, patrimônio e humanidades.

 

[Agência de Notícias do Acre]

Artigos Relacionados

Sessão solene da Aleac celebra contribuições notáveis para o desenvolvimento do Acre

Marcio Nunes

Entenda mudanças na aposentadoria em 2024

Jamile Romano

Prefeitura mantem a limpeza dos quatro cemitérios de Rio Branco mesmo no período das chuvas

Jamile Romano

Preços do diesel, da gasolina e do gás de cozinha sobem nesta quinta no Acre por alta no ICMS; entenda

Jamile Romano

Prefeitura de Rio Branco lança estratégia de combate a dengue

Jamile Romano

Ifac abre inscrições para cursos gratuitos de inglês e espanhol em Rio Branco

Marcio Nunes