27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
Acre

No Acre, mulher terá que pagar aluguel pelo tempo que residiu em casa de idoso após término do relacionamento

Publicado em 18/01/2024 09:01

A Vara Única da Comarca de Mâncio Lima determinou que uma mulher devolva imóvel e pague aluguel pelo tempo que residiu em casa de idoso, após o término do relacionamento entre eles. Conforme a sentença, os aluguéis devem ser contados a partir de dezembro de 2022 até a data que a reclamada desocupar o imóvel.

O autor entrou com ação contra a mulher com quem seu pai teve um relacionamento. O filho do idoso alegou que depois do fim do relacionamento entre a reclamada e seu pai, ela não quis sair da residência do idoso. Ela solicitou a partilha de bens. Mas, após o falecimento do pai, o herdeiro do idoso pediu a posse do imóvel e também o pagamento de aluguel como indenização por perdas e danos.

Na sentença, da juíza de Direito substituta Gláucia Gomes, é registrado que a mulher não apresentou defesa, por isso, foi decretada a revelia dela e diante dos elementos trazidos no processo, a reclamada foi condenada a devolver a posse do imóvel ao filho do idoso.

“Trazendo todas essas noções para os autos, tenho primeiramente que se operou à revelia e a confissão ficta, tendo em vista que a ré não apresentou resposta no feito tempestivamente, presumindo-se, assim, verdadeiros todos os fatos alegados na inicial. Tendo em vista que os fatos alegados na inicial se presumem verdadeiros, tenho por provados todos os requisitos para a concessão da proteção possessória, tendo como consectário que a proteção possessória invocada será deferida ao autor em desfavor do réu”, registrou a juíza.

A magistrada ressaltou que não foi comprovado a existência de união estável entre a mulher e o idoso, nem que a casa teria sido adquirida durante a união entre os dois. “Ademais, não restou provado nos autos que houve união estável entre o falecido Francisco Dias da Costa e a requerida Simone Costa da Silva, bem como que o bem em questão teria sido adquirido durante a suposta união estável ou que a ré tenha pago algo para a sua aquisição”.

[TJ/AC]

Artigos Relacionados

FEM publica lista preliminar de contemplados nos Editais de Arte e Patrimônio e do Audiovisual da Lei Paulo Gustavo

Jamile Romano

TJAC atende em regime de plantão nesta sexta-feira em alusão ao feriado pelo Dia do Evangélico

Jamile Romano

Ministério da Saúde esclarece informações falsas sobre compra de testes da Fiocruz

Jamile Romano

Justiça do Acre garante oportunidade de emprego para vítimas de violência doméstica e mulheres egressas do cárcere

Jamile Romano

Cursos do Polo Digital abrem portas para a população na região da Baixada

Jamile Romano

MPAC requisita abertura de inquérito para investigar crime de homofobia contra promotor de Justiça Tales Tranin

Jamile Romano