27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
Acre

Justiça do Acre garante oportunidade de emprego para vítimas de violência doméstica e mulheres egressas do cárcere

Publicado em 06/02/2024 09:02

Neste ano, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) conseguiu quatro vagas para mulheres que sofreram violência doméstica e também são egressas do Sistema Penitenciário

 

No Brasil, até 1962 mulheres casadas só podiam trabalhar fora de casa com autorização do marido, responsável por sua tutela. A conquista do trabalho foi um marco fundamental nos direitos das mulheres e na desconstrução de preconceitos de gênero. Hoje, ter um emprego também representa emancipação para muitas mulheres que sofrem violência doméstica e familiar e aquelas que saíram do cárcere e buscam por oportunidade.

Para garantir essa oportunidade, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) disponibiliza reserva de vagas de emprego nos contratos com firmas terceirizadas e neste ano quatro postos de trabalho estão sendo garantidos junto a empresa que ficará responsável pelos serviços gerais e de limpeza dentro da Justiça Estadual.

Carteira assinada e autonomia

A reserva de percentual de vagas para vítimas de violência doméstica e familiar, para pessoas egressas do Sistema Penitenciário e também em situação de vulnerabilidade dentro do Poder Judiciário é regida Resolução n.°497/2023 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que instituiu o Programa Transformação. No Acre, o TJAC emitiu a Portaria n.°2021/2023. Entretanto, a Justiça acreana desde 2022 contrata pessoas nessas situações, por meio de um Convênio firmado com o Tribunal do Trabalho da 14ª Região (TRT 14).

Foi por esse caminho, que a indígena Ayslana Santos do Nascimento e a jovem Andressa da Silva Ribeiro conseguiram seu primeiro emprego em toda a vida delas com a carteira assinada. Elas trabalham no Juizado Especial da Cidade da Justiça de Rio Branco, são egressas do Sistema Penitenciário e desejavam essa chance, com um emprego para mostrarem à sociedade que mudaram de vida.

“Da minha vida inteira esse é o meu primeiro emprego de carteira assinada. Eu já trabalhei em outras coisas, mas esse é o meu primeiro de carteira assinada”, comentou Andressa e Ayslana emendou: “O meu também, meu primeiro emprego de carteira assinada. É uma oportunidade muito grande. E é uma oportunidade boa para gente que sai do sistema para ter um novo começo”.

Outro benefício da reserva de vagas é no enfrentamento a violência doméstica e familiar, perpetuada pela falta de autonomia financeira das vítimas. Com independência a mulher pode ter mais confiança e motivação para sair da situação que está submetida.

Devolver o bem

Essas conquistas, são fruto do trabalho das Administrações do TJAC por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) e do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo (GMF), que atendem diversas políticas judiciárias nacionais e também os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidades (ONU).

O encaminhamento das pessoas para pleitearem essas vagas é feito com indicação da Secretária de Projetos Sociais (Sepso) do TJAC, que monta esse banco com a colaboração da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas (Vepma), das unidades especializadas em proteção à mulher ou das varas genéricas com competência para julgar esses casos.

Mas, além do cumprimento dos tratados internacionais e normatizações, a medida representa transformação, tal qual o nome do Programa. “Eu não penso mais as coisas erradas. O meu sonho é ter uma vida estável e mais na frente poder terminar os estudos e quem sabe fazer uma faculdade para ir além do que sou hoje”, revelou Ayslana. Ela quer fazer medicina para ajudar, devolver o bem que recebeu, atendendo seu povo Apurinã.

 

[TJ/AC]

Artigos Relacionados

Educação oferece suporte aos estudantes acreanos para inscrição no Sisu 2024

Jamile Romano

Correios coloca bens móveis à venda no Acre

Marcio Nunes

Iapen se reúne com Conselho Nacional do Ministério Público para tratar sobre o Sistema Prisional Acreano

Jamile Romano

MPAC divulga resultado preliminar de segunda etapa de concurso público para servidores

Jamile Romano

Marcus Alexandre pede contribuições da Ufac para seu plano de governo

Jamile Romano

Prefeitura de Rio Branco realiza mutirão de combate à dengue no Conjunto Universitário

Jamile Romano