27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
Artigos do NarcisoColunistas

Chega de guerras

Publicado em 26/12/2023 09:12

           Entre a paz mundial e as guerras, infelizmente, as guerras, não raramente, têm preponderado.   

   O atentado terrorista, “inquestionavelmente terrorista” praticado pelo Hamas contra Israel, no dia 7 de outubro, próximo passado, não encontra justificativa, ainda se levarmos em consideração as atrocidades praticadas pelos israelenses contra os palestinos, e vice-versa.

   Lamentavelmente, já se foram longevos 80 anos, desde a proclamação do Estado de Israel, em 1948. Enquanto isto os judeus e palestinos convivem em guerras, e o mais grave, estranhamente, contando com a complacência, e não raramente, com a participação de diversos outros países, em particular, os EUA, e as mais perigosas organizações terroristas do mundo, entre elas, o belicoso o Hezbollah.

   Lembremos algumas delas: Suez, Seis Dias e Yom Kippur, e a primeira delas, àquela que seqüenciou a decisão da própria ONU que estabeleceu o Estado de Israel, isto numa reunião que previa a criação de dois Estados, um para os judeus e outro para os palestinos.

   Como Israel foi atendido e os palestinos não, advieram às guerras acima citadas, e em particular, a que ora vivenciamos, esta por sua vez, provocada pelos terroristas do Hamas.

   A despeito da residual área territorial e populacional da outrora palestina, as suas recorrentes guerras costumam provocar algo assemelhado a uma guerra mundial, posto que, palestinos e israelenses são encontrados em todos os países do mundo, e ao mesmo tempo, no referido território, concentram-se as populações de diversos países, inclusive, brasileiros, 34 deles já repatriados.

   Presentemente, até a guerra Rússia/Ucrânia tem nos dado a impressão de ter chegado ao fim, posto que, o espaço que a própria imprensa mundial, inclusive a nossa, tem lhes dedicado, quando comparado aos espaços dedicado a guerra Israel/Hamas.

   Eu seria demasiadamente injusto se atribuísse aos judeus israelenses todas as responsabilidades sobre as guerras já ocorridas, e ao mesmo tempo, se atribuísse aos palestinos da Faixa de Gaza todas as responsabilidades pela guerra em curso.

   O que lamento, e profundamente, tem sido o comportamento dos países que poderiam contribuir com a paz entre israelenses e palestinos e pouco tem feito. Muito pelo contrário. Vide o comportamento dos EUA, um dos avalistas e financiadores de Israel, e de outro lado, a disposição do Irã e da organização criminosa, Hezbollah, em ajudar o Hamas.

   Por que existem as guerras? Esta indagação motivou um debate entre Alberto Einstein e Sigmund Freud, no dia 30 de julho de 1932. Sem a devida resposta e por sê-la atual, pergunto: por que existem as guerras.

Artigos Relacionados

O Dr. Jenilson Leite parece ter perdido o bonde e hoje já não desponta entre os preceituáveis

Marcio Nunes

Sobre Maquiavel

Marcio Nunes

Agora, até nos EUA

Jamile Romano

Senhores candidatos

Jamile Romano

Queridíssima ditadura

Narciso Mendes

Honestidade não basta

Jamile Romano