27.3 C
Rio Branco
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
O RIO BRANCO
Policial

Acre deve receber R$ 500 mil para compra de tornozeleira eletrônica a suspeitos de agredir mulheres

Publicado em 27/12/2023 12:12

O Acre deve receber cerca de R$ 500 mil para compra de tornozeleiras eletrônicas para monitoração de agressores de mulheres. O Ministério da Mulher vai disponibilizar o recurso para que o Estado reforce as ações de monitoramento a homens com medidas restritivas determinadas pela Justiça.

Ao todo, nove estados vão receber os recursos, que totalizam quase R$ 4 milhões para compra dos equipamentos. O objetivo é reforçar as ações de prevenção e combate à violência contra a mulher.

O governo federal desta que o monitoramento dos suspeitos ‘é considerado uma medida de prevenção secundária, as ações planejadas para a intervenção precoce e qualificada que visem a evitar a repetição e o agravamento da discriminação, da misoginia e da violência com base no gênero e em suas interseccionalidades’.
Veja abaixo os estados que vão receber os recursos:
Maranhão – R$ 200 mil
Mato Grosso do Sul – R$ 483.419,82
São Paulo – R$ 500 mil
Acre – R$ 500 mil
Bahia – R$ 488.286,40
Tocantins – R$ 497.841,60
Amazonas – R$ 497.322,18
Sergipe – R$ 499.950,00
Alagoas – R$ 274.800,00

As ações são desenvolvidas pelo Programa Mulher Viver sem Violência. No Acre, por meio do Programa Maria da Penha, as equipes do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen-AC) acompanham 46 casos de pessoas denunciadas por violência contra a mulher. Deste total, 39 usam tornozeleira eletrônica e seis já cortaram o dispositivo.

Projeto

Em novembro, a Secretaria de Estado da Mulher (Semulher) apresentou um edital ao Iapen-AC de chamamento público destinado à compra de mais unidades portáteis de rastreamento para reforçar a proteção às mulheres atendidas pela Lei Maria da Penha.

A Unidade de Monitoramento Eletrônico de Presos (Umep) já entrega um dispositivo eletrônico, conhecido como ‘botão do pânico’, à mulher para que ela acione a polícia caso o agressor se aproxime. Com o recurso do governo federal, o atendimento às vítimas de violência doméstica devem ter um amparo maior.

Atualmente, 37 mulheres já usam o botão do pânico no Acre.

Veja como denunciar casos de violência contra a mulher:
-Polícia Militar – 190: quando a criança está correndo risco imediato;
-Samu – 192: para pedidos de socorro urgentes;
-Delegacias especializadas no atendimento de crianças ou de mulheres;
-Qualquer delegacia de polícia;
-Disque 100: recebe denúncias de violações de direitos humanos. A denúncia é anônima e pode ser feita por qualquer pessoa;
-Profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, psicólogos, entre outros, precisam fazer notificação compulsória em casos de suspeita de violência. Essa notificação é encaminhada aos conselhos tutelares e polícia;
-WhatsApp do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos: (61) 99656- 5008;
-Ministério Público;

 

 

Artigos Relacionados

Caso Géssica: Justiça nega liberdade para PMs investigados por matar enfermeira durante perseguição no AC

Jamile Romano

Um em cada quatro jovens relata ter sofrido violência no Brasil

Marcio Nunes

Polícia Civil do Acre e de Goiás efetuam prisão de homicida e assaltante em operação conjunta

Jamile Romano

Assaltantes roubam caminhão e batem veículo em poste durante perseguição da PM

Marcio Nunes

É provável ter havido falhas nos protocolos, diz secretário após fuga em prisão de segurança máxima

Jamile Romano

Policial penal Rene Fontes ficou entre a vida e a morte durante emboscada que sofreu em Porto Velho-RO

Jamile Romano